quarta-feira, 29 de Outubro de 2014

2014_10_28 Contaminações



















O diário gráfico também é espaço para experiências.
Estas começaram com um pequeno quadrado de cor vermelha.
O que aconteceria se mais fizesse mais quadrados da mesma cor? e se fizesse mais quadrados de outras cores? e se fizesse um quadrado de cor para cada pastilha da caixa de aguarelas? e se combinasse as cores? e se as combinasse antes delas secarem? e se e se...
Foram muitos 'ses' até encher duas folhas de 'contaminações'.

2014_10_25 Vale Travesso


















No fim de semana que passou participei num retiro de diários gráficos na Quinta da Casa Velha, perto de Ourém. No sábado à tarde o Mário Linhares propôs-nos sobre o tema O caminho do desenho, fazer um percurso individual pela aldeia vizinha e registá-lo no caderno. Deveriamos estar atentos às nossas escolhas e aos pensamentos por detrás das decisões que tomamos.
Vale Travesso é uma aldeia como serão tantas outras nesta altura do ano. Os telheiros enchem-se de abóboras e de pilhas de lenha para o Inverno. No chão o milho seca ao sol junto com as castanhas fugidas das cascas abertas ali ao lado com o seu ar de ouriços do mar naufragados em terra. Cada casa tem junto uma pequena horta onde os perús e as galinhas bicam o chão entre as couves e a oliveira. Os habitantes estranham a invasão dos urbanos com cadernos na mão e vão respondendo às saudações.
Fui identificando os edifícios públicos. A igreja, a escola primária, o cemitério, o coreto, o lavadouro publico e usei alguns deles para a composição duma página que resumisse o percurso feito.

terça-feira, 21 de Outubro de 2014

2014_10_10 Campo Grande
















Desenhar carros é como desenhar árvores. É olhar para o objeto à nossa frente e trazê-lo para o papel.

domingo, 19 de Outubro de 2014

2014_10_19 Escadinhas de São Tomé



















Voltou o calor.
Fim de tarde em Alfama a sentir os cheiros a incenso e a duche acabado de tomar fugido pela janela da casa de banho que dá para a rua e a cabelos acabados de lavar. A toda a hora turistas a passar para cima, turistas a passar para baixo, turistas de elétrico, de tuk tuk. Turistas a entrarem para os prédios antigos uns mais recuperados que outros. Cansados depois de um dia inteiro a turistar.
A esta hora já ninguém procura os tuk tuk e os condutores fumam um cigarro pausadamente e contam as aventuras do dia antes de recolherem à garagem.
"Excuse me sir! Is this the twenty eight?" Perguntou a turista pelo número do eléctrico com percurso pelos carris que seguiam rua abaixo. "Yes twenty eight!" respondi telegráficamente depois de um breve olhar para confirmar a localização da próxima paragem já a caminho das Escolas Gerais. Ela não perguntou mais nada e eu voltei às linhas com que me coso até ser quase noite e decidir que este desenho ia acabar sem carris e sem fios suspensos.


sexta-feira, 17 de Outubro de 2014

2014_15_10 Chiado


No Chiado durante a terceira sessão da formação Alfabeto Lisboeta com orientação de José Louro, Mário  Linhares e Ketta Linhares. Cada semana uma letra do alfabeto leva-nos à descoberta de um bairro de Lisboa. Depois de Alfama e da Bica o Chiado de Fernando Pessoa e do poeta Chiado.


A primeira proposta foi fazer uma composição de dupla página com as portas e os nomes dos restaurantes da zona envolvente ao Largo do São Carlos.


Num segundo momento, à porta dos Armazéns do Chiado, ponto de encontro e de passagem obrigatória para quem sobe ao Chiado. Desenhar o percurso da Rua do Carmo e Rua Garrett.

sexta-feira, 10 de Outubro de 2014

2014_10_05 Convento da Arrábida




















Ao lado da porta de ferro da Igreja permanece uma estátua de Frei Martinho de Santa Maria, franciscano castelhano a quem D. João de Lencastre (1501-1571), primeiro duque de Aveiro, cedeu as terras da encosta da serra e que fundou o convento em 1542.

Começei por fazer um desenho simplificado do casario do convento. No dia seguinte e na página oposta encontrei espaço para o desenho da estátua que entretanto cresceu até sair do papel. No conjunto final o Frei Martinho parece distanciar-se da sua obra para melhor a observar à distância.


quarta-feira, 8 de Outubro de 2014