2013_08_24 Campo Grande


















No mês em que a Volkswagen anunciou o fim da produção do modelo 'Pão de Forma' não resisiti a desenhar este exemplar bem conservado, com que me cruzei para os lados do Campo Grande. Na parte lateral tinha o logotipo do Programa Ciência Viva da Agência Nacional para a Cultura Científica e Tecnológica.

2013_08_23 Campo Grande

















Para este desenho repesquei uma Rotring 0.2. Como o papel usado é muito absorvente, (tipo papel manteiga) sempre que a caneta para em cima do papel produz um um pequeno borrão. Para evitar que a mancha alastre o desenho torna-se automaticamente mais rápido e mais gestual. Era esse o efeito que pretendia para em conjunto com alguns salpicos tornar mais atraente o desenho de um normal veículo utilitário.

2013_08_13 Avenida da Liberdade


O qué que a Avenida tem a ver com o Jorge Colombo!? Não faço a mínima...

2013_08_04 Alameda da Reitoria










A zona da Cidade Universitária e o topo norte do Campo Grande encontram-se em período acelerado de conclusão de obras sob o impulso do calendário eleitoral. Um pouco por toda a cidade sente-se a pressão para acabar obra antes das eleições. Na zona da Alameda da Reitoria da Universidade de Lisboa a obra está praticamente acabada restando visível apenas a protecção ao relvado recentemente 'implantado'.

2013_08_07 Praça de Alvalade
















É certo que podia ter dado outro título ao desenho. Talvez "carros e sombras", o que para mim tem uma vaga ressonância tauromáquica mas como título passava. Mas como foi feito na Praça de Alvalade não vou alterar o hábito do título dos desenhos ser, ou remeter, para o local onde foi feito.

2013_07_31 Forum Picoas







































Em noventa por cento dos desenhos que faço, (+ ou -), o objecto do desenho é escolhido no momento em que tomo a decisão de desenhar, ou o quer que seja que venha em primeiro lugar. Habitualmente não saio de casa pela manhã com o propósito de desenhar a Torre de Belém ou a vista do Castelo de São Jorge (ainda não cheguei a essa fase). Mas saio com o caderno e a caneta na mochila, na expectativa de encontrar um momento para começar a desenhar. Pode ser um carro antigo, uma situação de rua, uma memória que se impõe... No caso deste holofote de iluminação exterior do Forum Picoas foi tudo isso e um conjunto de tudo issos. As linhas do objecto, o local com memória, um bom muro para estar sentado a desenhar. Foi tudo isso e claro... estar a perder a vergonha de puxar pelo caderno na praça pública.

2013_07_28 CAM 30 ANOS


O workshop de Diários Gráficos que o Richard Câmara orientou no passado dia 28 de Julho em Lisboa, dedicado aos parques e jardins de Lisboa incluiu uma passagem pela exposição comemorativa: "SOB O SIGNO DE AMADEO. UM SÉCULO DE ARTE", inaugurada no âmbito do 30º aniversário do Centro de Arte Moderna da Fundação Gulbenkian.
Ali, o desafio foi desenhar os jardins a partir do interior do Cam usando três canetas/riscadores de cores diferentes. 
Para quem ainda não sabia, ao domingo a entrada na exposição é gratuita e foi permitido desenhar sem qualquer entrave.

2013_06_08 Farol do Bugio



Muitos desenhos são fruto do acaso. Também é verdade que se há um caderno por perto o acaso ocorre com mais frequência.
Os faróis da região da Lisboa são, na minha memória, uma marca sempre presente na ocupação do território. Guiado pela curiosidade e entusiasmado com um primeiro desenho, procurei saber um pouco mais sobre faróis e visitar os facilmente acessíveis (menos o Bugio pelo que usei uma vista da Cova do Vapor).
Fiquei a conhecer a Tragédia da Gibalta de 1952, o farol escondido na Mata do Jamor (Farol do Esteiro) e a reabilitação e musealização do Farol de Santa Marta, merecedora de visita.
Nas pesquisas na internet cruzei-me com registos de outros desenhadores, (Pedro Cabral, Farol da Mama), no Cabo da Roca contemplei os mares do ponto mais ocidental da Europa e na Guia apanhei um escaldão do caraças por escadas e escarpas pouco recomendáveis a quem sofre de vertigens. Enfim, farolices...

2013_08_03 Cabo da Roca










O ponto mais ocidental da Europa está implantado num local de grande beleza paisagística. Para além do acesso por estrada, para quem gosta de caminhar, existem trilhos que vale a pena percorrer.
Ingredientes para uma tarde perfeita a caminhar e a desenhar na companhia dos Pedros e do FilipeA.

2013_07_28 Estufa Fria


















O workshop do Richard Câmara, Parques e Jardins de Lisboa, no passado domingo, proporcionou, para além de um dia bem passado, o reencontro com a Estufa Fria, finalmente reaberta, e o desejo de lá voltar numa próxima oportunidade.