2014_10_25 Vale Travesso


















No fim de semana que passou participei num retiro de diários gráficos na Quinta da Casa Velha, perto de Ourém. No sábado à tarde o Mário Linhares propôs-nos sobre o tema O caminho do desenho, fazer um percurso individual pela aldeia vizinha e registá-lo no caderno. Deveriamos estar atentos às nossas escolhas e aos pensamentos por detrás das decisões que tomamos.
Vale Travesso é uma aldeia como serão tantas outras nesta altura do ano. Os telheiros enchem-se de abóboras e de pilhas de lenha para o Inverno. No chão o milho seca ao sol junto com as castanhas fugidas das cascas abertas ali ao lado com o seu ar de ouriços do mar naufragados em terra. Cada casa tem junto uma pequena horta onde os perús e as galinhas bicam o chão entre as couves e a oliveira. Os habitantes estranham a invasão dos urbanos com cadernos na mão e vão respondendo às saudações.
Fui identificando os edifícios públicos. A igreja, a escola primária, o cemitério, o coreto, o lavadouro publico e usei alguns deles para a composição duma página que resumisse o percurso feito.

Sem comentários:

Enviar um comentário