2014_12_25 Praça D.Luis I


Edificio onde em 1956 foi inaugurada a Central Telefónica Interurbana de Lisboa. Parte do edificio está coberto por um painel de publicidade ao projeto imobiliário que o reconverteu em prédio de habitação e que acabou por ficar no desenho.

2014_12_20 Basílica da Estrela de Natal


















Minutos finais antes da Noite de Natal.
O ritmo dos ultimos dias intensificou-se. Os passos apressados dispararam na pressa que tomou conta das nossas vidas.
É a última oportunidade para as prendas em falta ou para as falhas na cozinha.
Desenhar a partir do terraço da basílica da Estrela, aquecido pelo sol do meio da manhã é um luxo nestes dias agitados.  Mesmo quando os desenhos não atingem as espectativas é sempre gratificante o tempo passado a observar, a planear, a executar.
Um luxo o tempo.
Amanhã as ruas irão ficando mais vazias à medida que a noite for chegando e uma estrela cruzar o céu.

2014_11_28 Entrecampos


















Pormenor da estátua de Entrecampos (entre o grande e o pequeno) erguida em memória da guerra peninsular na qual foram expulsos de Portugal os exércitos napoleónicos.

2014_13_12 Museu do Oriente

Sábado de manhã, mais uma sessão de desenho do Alfabeto Lisboeta.
O Museu do Oriente tem as peças expostas de uma forma que convida ao desenho. A iluminação, direccionada para os expositores, centraliza a nossa atenção nos objectos, intensificando o efeito dramático das sombras.


Uma das propostas foi desenhar com três canetas diferentes, e só com linha, uma armadura japonesa tentando perceber e representar as várias texturas que compunham as diferentes peças. Neste desenho parte do exercício foi mesmo esquecer as sombras.



















Outra das propostas. Desenhar um friso de figuras acentuando o elemento de repetição.

2014_12_08 Santo Amaro de Oeiras


















Depois de tanta discussão à volta dos feriados foi bom voltar no passado dia oito a viver num dia feriado.
Um dia para desacelarar e só perto do por do sol pegar na caneta e no papel para tranquilamente desenhar o forte de São João das Maias enquanto a luz a desaparecer e o frio a apertar iam empurrando a cor para quando chegasse a casa.

2014_12_06 Mosteiro dos Jerónimos



















Dia frio mas com sol para aquecer as mãos na letra J do Alfabeto Lisboeta.
Desenho com caneta e grafite a partir dos Jardins da Praça do Império e localizado mesmo em frente ao centro do mosteiro.
Fartei-me de tirar medidas mas na altura de passar à prática tive que deixar alguns claustros de fora para reduzir o mosteiro às dimensões do caderno.

2014_11_30 Avenida de Berna


















É difícil desenhar nas ruas de Lisboa sem tirar do cenário três candeeiros de iluminação pública, oito semáforos, cinco sinais de trânsito e duas peças de mobiliário urbano.
Não que os tenha contado. Foi uma estimativa que fiz depois de desenhar a recentemente restaurada igreja de Nª Srª de Fátima.
Projetada por Pardal Monteiro, foi em 1937 a primeira igreja a ser construída  depois da instauração da república e foi no anexo salão paroquial com entrada pela Avenida Marquês de Tomar que funcionou entre 1970 e 1990 o cinema Berna.
Quem foi lá ver o filme Jesus Christ Superstar decerto que se lembra.