2015_06_25 Lisboa dos Olhos Meus

video 

Com a última sessão do módulo dos carimbos chegou ao fim o Alfabeto Lisboeta. 
Foi-nos proposto para este módulo a produção dum caderno em formato leporello (tipo harmónio) usando os carimbos produzidos na sala de aula a partir de desenhos feitos nas sessões ao ar livre e combinando-os com outras técnicas (desenho, colagem, etc.) e materiais (aguarela, guache, folhas ou outros objectos recolhidas, recortes de jornal, etc.). O produto final deveria mostrar em resumo o percurso de cada um pela Lisboa recolhida nos desenhos ao longo das várias sessões. 
Retive o entusiasmo contagiante com que a Ketta Linhares, como formadora deste módulo, nos transmitiu a sua paixão pelos carimbos. Os trabalhos por ela desenvolvidos nesta área foram também um estímulo e um incentivo pelo apurado sentido estético que revelam. Foi bom receber os seus conhecimentos em conjunto com uma turma bem disposta e empenhada. 

2015_06_14 Belém


A vontade de desenhar todos os dias dá origem a resultados diversos, uns mais satisfatórios que outros, e a desenhos em diferentes estados de evolução que muitas vezes não chegam ao imaginado no plano inicial. Simplesmente acabam quando têm que acabar.

2015_06_09 Campo Grande


O mini tornado que no passado Domingo passou por Lisboa em poucos segundos "limpou" as flores das árvores do Campo Santana mas não chegou a atingir o Campo Grande.

2015_05_31 Olaio



























A casa Olaio começou com uma loja de venda de móveis que José Olaio abriu em 1886 na Rua da Atalaia. No final dos anos 70 chegou a produzir cadeiras para o IKEA na fábrica de Loures, São João da Talha que entretanto fora construída em 1939.
"Toda a gente tinha uma cadeira Olaio em casa!" atalhou o João quando lhe contei que tinha descoberto na exposição dos Móveis Olaio que visitei no Museu de Cerâmica de Sacavém uma cadeira muito igual a uma outra que ainda existe em casa dos meus pais, no quarto que era o meu, e onde eu me sentava para fazer os trabalhos de casa.
Na exposição podem-se ver algumas das peças de mobiliário mais marcantes da produção da fábrica, assistir a um documentário composto por depoimentos de antigos funcionários e a cadeira Milão que é mesmo igualzinha àquela lá de casa:
"Só a cor da napa do forro do assento é que é diferente. O resto é mesmo igual."