2016_12_27 em tempo mais fundo que o quotidiano


Carta de Natal a Murilo Mendes

Querido Murilo: será mesmo possível
Que você este ano não chegue no verão
Que seu telefonema não soe na manhã de Julho
Que não venha partilhar o vinho e o pão

Como eu só o via nessa quadra do ano
Não vejo a sua ausência dia-a-dia
Mas em tempo mais fundo que o quotidiano

Descubro a sua ausência devagar
Sem mesmo a ter ainda compreendido
Seria bom Murilo conversar
Neste dia confuso e dividido

Hoje escrevo porém para a Saudade
- Nome que diz permanência do perdido
Para ligar o eterno ao tempo ido
E em Murilo pensar com claridade -

E o poema vai em vez desse postal
Em que eu nesta quadra respondia
- Escrito mesmo na margem do jornal
Na baixa - entre as compras de Natal

Para ligar o eterno e este dia.

Lisboa, 22 de Dezembro de 1975

Sophia de Melo Breyner Andresen (Porto, 1919-2004)
in O Nome das Coisas (1977)

2016_12_17 Escalas


No caso de um desenho ou mapa, a escala é a razão constante entre medidas de comprimento do que foi desenhado e o objeto real que está sendo representado, sempre tomadas na mesma unidade (diz a wikipédia...).

2016_10_01 Rua da Junqueira


O Chafariz da Junqueira foi erguido em 1821 frente à Cordoaria Nacional. 
Em 1838 foi acrescentado o caudal descoberto na proximidade de Rio Seco, para serventia do chafariz, até então abastecido por uma mina de água situada no Alto de Santo Amaro. Na década de 40 teve arranjo urbanístico da envolvente, segundo projecto do arquitecto Raul Lino e mais tarde pintura dos azulejos das ilhargas do chafariz na Fábrica Viúva Lamego, executados por Mário Reis.

2016_10_03 Bairro São Miguel


No outubro que passou a explorar marcadores novos.

2016_11_26 Rua Barata Salgueiro


A Academia Portuguesa de Cinema está a organizar, em parceria com o ICA e a Cinemateca Portuguesa, a “1ª Exposição de Cartazes do Cinema Português”, a decorrer entre 20 de outubro e 30 de novembro de 2016.

2016_11_19 Vamos desenhar com...

Mais uma oficina de desenho no Museu Arquelógico do Carmo com organização dos Urban Sketchers de Portugal. Sábado passado foi a vez de desenhar com o Luís Frasco.

2016_10_15 Vamos desenhar com...


Com a Fernanda Lamelas começou este sábado o ciclo de oficinas de desenho “Vamos desenhar com...” uma iniciativa da Associação Urban Sketchers Portugal organizada no Museu Arqueológico do Carmo. Tivemos a oportunidade de seguir o seu percurso e ouvir as histórias por detrás dos seus desenhos sempre rigorosos e elegantes.



Depois seguimos a sua proposta e fomos à procura de detalhes que no final se juntaram num grande mosaico do que é hoje o Museu Arqueológico do Carmo.

2016_10_01 Avenida Calouste Gulbenkian


A vibração foi-se aproximando com cadência. Stump, stump, stump, stump, stump, stump... Passou por mim em passo de corrida e desvaneceu-se na distância. Não me lembro desta ponte tremer tanto mas também é a primeira vez que estou parado em cima dela a desenhar e a ponta da caneta parece um sismógrafo a registar tremores de terra sempre que passam corredores ou ciclistas.
A ponte faz parte do corredor verde de Monsanto e tem o nome do arquitecto paisagista responsável pelo plano feito em conjunto com a Câmara Municipal de Lisboa, Gonçalo Ribeiro Telles. Tem uma vista interessante sobre a Av. Calouste Gulbenkian e fica mesmo no enfiamento dos aviões que vão aterrar na Portela.
Até que...
"Posso espreitar o seu desenho?" perguntou a voz debaixo do capacete.
R. também desenha, mostra-me o caderno de aguarelas e sabe que neste dia há encontro uskp no Jardim da Estrela. Aconselho-o a participar porque para além doutras coisas há workhops sem pagar. A conversa continua. Aos quarenta anos, cansado das horas extras e dos fins de semana a trabalhar sem remuneração nem reconhecimento deixou o atelier de arquitectura e decidiu mudar de vida. Conduz um tuk tuk e mostra Lisboa aos turistas. Está contente com a troca que conclui ser financeiramente recompensadora.
Nessa tarde enviei-lhe um link para as aguarelas em Lisboa do Roque Gameiro. Quem sabe se não surge um novo percurso para os turistas que procuram conhecer mais sobre as artes em Lisboa.

2016_09_00 Escalas


Comprei um caderno maior que o habitual com a intenção de aumentar a escala do desenho. Mas por vezes os desenhos continuam pequenos e várias escalas misturam-se na mesma dupla página.

2016_09_24 Lapin nas Amoreiras


Sábado o ilustrador francês Lapin no âmbito da iniciativa 'Um ano a desenhar para o futuro' orientou na Fundação Arpad Szenes Vieira da Silva uma oficina de desenho com o título "Ojo de Pez" 180 º Sketching, uma introdução a perspectivas não lineares.




Depois da apresentação do tema saímos para a rua para passar à prática. Tentei ao máximo dobrar as linhas e isto foi o melhor que consegui.



Depois do almoço... foto com desenho de grupo.

 



2016_09_24 (a)Riscar o Património em Lisboa


a)Riscar o Património/Heritage Sketching é uma iniciativa da DGPC – Direção-Geral do Património Cultural, com apoio dos Urban Sketchers Portugal, integrada nas Jornadas Europeias do Património constituída por encontros de desenho em várias cidades do país
Em Lisboa o percurso começou no Largo do Intendente e acabou no largo do Martim Moniz.

2016_09_15 Alameda Linhas de Torres


Comecei esta dupla página no auditório ao ar livre dos jardins da Fundação Gulbenkian. Depois de planificar o anfiteatro encontrei uma figura tão concentrado num tablet que acabei por ter tempo para dar a cor no local. Com o tempo passado resolvi deixar o desenho do anfiteatro como estava embora o plano inicial fosse desenhar também as manchas de vegetação.
Dois dias depois, na hora de almoço, encontrei espaço livre no caderno para o Palácio dos Lilases, sede da Academia Portuguesa da História.

2016_09_10 Jardins da Gulbenkian




Garden Sketching é o nome do evento de desenho em diário gráfico que ocorreu nos jardins da Gulbenkian organizado pelos Urban Sketchers de Portugal.

2016_08_28 Praça da Alegria


Dois prédios ao lado do antigo clube, no renovado Hot Club de Portugal. Um ambiente e um espaço evocativos da 'catacumba' original.

2016_08_20 Largo Dr José de Figueiredo



Pormenor de uma das bicas do Chafariz das Janelas Verdes.  
"Uma figura envelhecida e barbuda, com os cabelos atados por uma fita, que deixam antever umas orelhas pontiagudas" na descrição da DGPC.

2016_07_21 Keizersgracht


A irmã da S. que mora em Amesterdão mudou de casa e a S. lembrou-se de me desafiar a fazer um desenho da casa para lhe oferecer. A deslocação a Amesterdão acabou fora do projeto e fiz o desenho a partir de fotografia.
Há muitas diferenças entre desenhar a olhar a rua e desenhar sentado em casa a olhar uma imagem num ecrã de computador.
São 'viagens' diferentes e esta deu-me particular satisfação pelo desafio que foi alterar a forma de desenhar.
O canal (gracht) do Kaizer é um dos três canais centrais de Amesterdão.

2016_07_28 Banco de imagens

Com o início da vaga calor dei por mim em casa a navegar na internet até encalhar num banco de imagens onde, atraído pelas cores do vestuário e pela forma do contrabaixo, encontrei modelo para um desenho.


2015_09_15 Um Alfa na Alameda


Quando se folheiam cadernos antigos reencontram-se desenhos esquecidos.
Do local onde estava, nas escadarias do Instituto Superior Técnico, a roda traseira deste Alfa estava tapada e acabou ausente do desenho.
Eu agradeci porque rodas de automóveis são sempre uma incerteza no resultado final.

2016_07_25 Cascais


Quando as ondas de calor se abatem sobre Lisboa uma boa opção é um desvio de 30 quilómetros para mergulhar em temperaturas abaixo dos 30 graus.